さようなら Tomie Ohtake


download (3).jpeg

Hoje ela se foi ... Adeus Tomie Ohtake.

Quando Renato e eu nos casamos há alguns anos, ganhamos de um casal muito querido esse trabalho dela.

IMG_0814.jpg

E em sua homenagem reproduzo abaixo, matéria do jornal O Globo de agosto de 2013.

A Vida de Tomie Ohtake em 10 Atos

01

1930

Caçula de seis irmãos (e única filha mulher), Tomie Nakakubo nasce em Quioto, em 1913. Muito próxima da mãe, Kimi, ela insiste e consegue autorização para vir ao Brasil, onde já vivia um de seus irmãos. Tomie só revê a mãe em 1951. Depois de uma tarde de alegres conversas com a filha, a mãe suspira e morre.

1930.jpg

02

1936

Após 40 dias de viagem, Tomie, com 23 anos, desembarca em Santos com o irmão que, dias depois, teria de voltar ao Japão para lutar na Guerra do Pacífico. Ela fica em São Paulo com outro irmão e conhece Oshio Ohtake. Casa-se um mês depois de chegar ao país e, mais tarde, tem dois filhos: Ruy e Ricardo Ohtake.

03

1952

A artista só começa a pintar aos 40 anos. Ela segue o conselho do professor e artista Keisuke Sugano de que, já com os filhos crescidos, não deve deixar de fazer o que gosta. Compra tintas e telas e inicia as aulas com Sugano. Suas primeiras obras, sempre sem título, são figurativas, como a tela de 1952 (acima). Dez meses depois das primeiras aulas, Tomie já expõe no Masp e vence salões de arte em São Paulo e em Brasília.

04

1965

Na década de 1960, aproxima-se do abstracionismo, pelo que ficou mais conhecida. É nesta década que sua pintura se aproxima daquela feita por Mark Rothko, com cores contrastantes em retângulos ou quadrados. A forma organizada e precisa como seu pincel caminha sobre a superfície da tela lembra algo da caligrafia nipônica.

1965.jpg

05

1973

Na década de 1970, Tomie aumenta o campo de formas e cores que utiliza em sua pintura. Nas telas, surgem as primeiras curvas, e a paleta se amplia, ganhando novos tons, como o rosa, o laranja e o azul.

06

1985

A artista passa a fazer esculturas, e os anos 1980 são marcados pela proliferação de obras públicas de sua autoria. Para o Rio, onde viveu apenas um ano quando recém-casada, Tomie cria “Estrela-do-mar” (uma de suas poucas obras com título), que é instalada em 1985 na Lagoa e retirada em 1990 para manutenção, sem nunca mais retornar.

download.jpeg

07

1988

No período em que cria muitas esculturas públicas, inclusive para o jardim de sua própria casa, a artista molda o concreto armado em curvas para uma obra na Avenida 23 de Maio, em São Paulo. O trabalho mantém a leveza e a economia de elementos da produção de Tomie, mas tem grande escala: cada peça da escultura tem 30 metros de comprimento.

tomie5.jpg

age20121030194.jpg

08

1995

Ruy Ohtake amplia o ateliê que a artista mantém em casa. O pé-direito é aumentado, e o vidro da claraboia contém a entrada direta do sol, mas deixa penetrar a claridade. Tomie incorpora mais questões de luz em sua pintura.

1995.jpg

09

2001

Abertura do Instituto Tomie Ohtake (ITO), em São Paulo. A proposta do espaço é apresentar novas tendências da arte e rever referências dos últimos 50 anos, para coincidir com o período de trabalho de Tomie.

IMG_0615.JPG

10

2013

Ano do centenário da artista que produz novas telas.

O ITO prepara série de homenagens, com mostras em agosto/2013 (de projetos e desenhos) e em novembro/2013, com curadoria de Paulo Herkenhoff.

download (2).jpeg


  • Facebook Limpa
  • Instagram Limpa

Delícias da Vida: minha família - marido e filhas, minha casa que é o melhor lugar e ...  viagens!

As Filhas, sempre por perto, nem que de vez em quando, virtualmente.

Em casa, a Mesa posta com carinho, boa Comida, um Vinho ou Borbulhas geladas e Gente Querida!!!

Nos planos, sempre um Novo Destino e em Boa Companhia!

É disso que falo aqui: Estilo com Inspiração, Criatividade, Talento, Ideias, Inovação, Paixões, Originalidade .... Experiências!

Já passei dos 50, sou de Capricórnio com ascendente em Aquário e, assim, estou cada vez mais Leve e querendo Compartilhar as Boas Coisas da Vida!

 

 
Escrito por Mia Athayde